Quatro Níveis de Análise Social

img 33

Nesta newsletter estamos dando atenção ao “economês”!  E para isto, resgatamos uma contribuição de um dos mais proeminentes economistas do nosso tempo: o Prof. Oliver Williamson, ganhador do Prêmio Nobel de Economia de 2009.

Em artigo publicado no Journal of Economic Literature, Vol. XXXVIII, de setembro de 2000, intitulado “The New Institutional Economics: Taking Stock, Loooking Ahead” (A Nova Economia Institucional: Tomando o Estoque, Olhando para Frente”) o Prof. Williamson apresentou seus quatro níveis de análise social, esquematizado na Figura à frente.  Segundo ele, a seta cheia que conecta um nível maior ao nível mais baixo impõe restrições ao nível imediatamente abaixo, e a seta pontilhada sinaliza feedback de um nível para outro.

No nível mais alto está o enraizamento social.  É neste nível onde as normas, os costumes, as tradições, etc. estão localizados.  Apesar deste Nível 1 de análise ser desenvolvido pelos historiadores econômicos e outros cientistas sociais, este nível é assumido como dado pelos economistas institucionais (escola econômica que se preocupa com a análise e interações das instituições).  As instituições neste nível mudam muito lentamente (da ordem de centenas a milhares de anos), e aquelas informais têm origens espontâneas.

O Nível 2 se refere ao ambiente institucional.  Nele estão as regras formais (constituições, leis, direitos de propriedade).  E isto abre a oportunidade, segundo o Prof. Williamson, para o que ele chama de “Primeira Ordem de Economização”: alcançar corretamente as regras formais do jogo.  Restringidos pela seta do passado, os instrumentos de projeto ao nível 2 incluem o executivo, o legislativo, judiciário, e as funções burocráticas do governo, bem como a distribuição de poderes ao longo dos níveis de governo.  E mudanças neste nível ocorrem em intervalos de 10 a 100 anos.

No Nível 3 é onde estão localizadas as instituições de governança.  É neste nível que se observa a unidade da atividade econômica em última instância: a transação.  E esta deve conter três princípios: conflito, mutualidade e ordem.  A Teoria dos Custos de Transação (iniciada a partir dos trabalhos do Prof. Ronald Coase, Prêmio Nobel de Economia de 1991) e estendida pelo Prof. Williamson, assume que a transação é unidade básica da análise econômica, mas a governança é um esforço de orquestrar a ordem, e por meio disto mitigar o conflito e produzir os ganhos mútuos.  Assim a governança formata os incentivos econômicos.  Prof. Williamson chama este nível de “Segunda Ordem de Economização”, e aponta que a reorganização das transações entre estruturas de governança (empresas, mercados, e outras formas) são re-examinadas periodicamente numa ordem de um a dez anos, e seu propósito é alcançar as estruturas de governança corretas.

Por último, o Nível 4 é aquele em que a economia neoclássica (a escola dominante da economia) funciona.  Aqui o aparato de otimização, frequentemente a análise marginal, é empregado, e a empresa, para este propósito, é tipicamente descrita como uma função de produção.  Ajustes de preços e produção ocorrem mais ou menos continuamente.  Prof. Williamson denomina este nível de “Terceira Ordem de Economização”.

Finalmente, o Prof. Williamson chama atenção para a tecnologia.  Fazendo uma comparação com a inovação tecnológica, o estudo da inovação organizacional tem sido comparativamente negligenciado.  A Nova Economia Institucional (que se preocupa basicamente com os níveis 2 e 3) é uma tentativa de retificar isto – ou seja, a idéia de que “dentre as inovações do homem, o uso da organização para atingir seus objetivos está entre as suas maiores e mais antigas”.  Em resumo, afirma ele: “precisamos encontrar maneiras de tratar a inovação tecnológica e a inovação organizacional de forma combinada”.

Lição dada, lição assumida. Obrigado Prof. Williamson!

Se sua empresa, organização ou instituição deseja saber mais sobre estes níveis da análise social, fique a vontade para nos contatar!

 ----------------------------------------------------------------------------------------------

PS: Esta newsletter considera que a escola econômica denominada “Economia Organizacional” atua numa articulação entre os níveis 3 e 4, incorporando parte dos aspectos do nível 2 do esquema sugerido pelo Prof. Williamson.

fig 33 1

Creativante 2017 - Todos os direitos reservados