As Top 10 Leis da Cloud Computing e do SaaS- Software as a Service

img 25

Como apontado recentemente pelo especialista em Sistemas de Informação Petri I. Salonen, se você está ativo no mundo do SaaS- Software as a Service (Software como um Serviço), você muito provavelmente deve ter ouvido falar sobre as Bessemer’s Top 10 Laws of Cloud Computing and SaaS, ou seja, as Top 10 Leis da Cloud Computing e do SaaS da empresa de capital de risco Bessemer Venture Partners.  Estas 10 Leis foram definidas para ajudar a navegar no mundo do SaaS, especificamente para os ISV- Independent Software Vendors (Vendedores de Software Independentes) que desejam transicionar para o mundo do SaaS, e aqueles que têm um sonho de começar uma empresa de SaaS.  Estas leis foram desenvolvidas a partir de centenas de conversações com executivos da cloud no mundo, e a Bessemer é um dos mais conhecidos investidores em companhias da cloud.

A Bessemer acredita fundamentalmente que a emergência da Cloud Computing – e seus três componentes centrais de Software-as-a-Service (SaaS), Platform-as-a-Service (PaaS), e Infrastructure-as-a-Service (IaaS) – irá mudar completamente a economia da indústria multi-bilionária do software.  A Figura 1 à frente (retirada de um whitepaper da Bessemer que detalha as top 10 leis aqui tratadas), dá uma idéia do que representará (de acordo com a AMR, Gartner, e IDC) este mercado em 2012: o tamanho do mercado de IaaS será de US $ 2 bilhões, com um crescimento médio de 30% de 2010 até lá; o mercado de PaaS será de US$ 9 bilhões, crescendo 70%; e o mercado de SaaS (o maior deles) será de US$ 21 bilhões, crescendo 20%.

fig 1 25

A última versão (a primeira foi publicada dois anos atrás) destas Top 10 Leis da Cloud Computing, liberada no inverno americano de 2010, é a seguinte:

  1. Menos é mais! Alavanque a cloud em qualquer lugar que você praticamente possa, tanto para seus sistemas internos, quanto para suas ofertas de produtos, e “diga não” para os on-premises deployments (computação em instalações próprias)!
  2. Instrumentize-se e confie nos 6 Cs da Cloud Finance (Finança da Nuvem).  Ou seja, as métricas chave do negócio devem incluir os seguintes 6 Cs: 1) Committed Monthly Recurring Revenue – CMRR (Receita Recorrente Mensal Comprometida); 2) Cash Flow (Fluxo de Caixa); 3) CMRR Pipeline- CPipe (Fonte de informações de CMRR); 4) Churn (produza em grande quantidade e em tempo reduzido); 5) Customer Acquisition Cost – CAC (custo de aquisição de consumidor); e 6) Customer Life Time Value – CLTV (valor do tempo de vida do consumidor);
  3. Estude a Curva de Aprendizado das Vendas e Somente Invista atrás de Sucesso;
  4. Esqueça tudo que você aprendeu sobre canais de software.  A Internet é seu novo canal e Provedores de Serviços Capacitados por Tecnologia estão entre os poucos parceiros que realmente se importam se você tiver sucesso;
  5. Construa Employees Software- Software de Empregados. Empregados são agora poderosos consumidores, não somente seus gerentes;
  6. Por definição, suas prospecções de vendas estão on-line- marketing tecnológico on-line é uma competência central de qualquer negócio de sucesso da cloud;
  7. A mais importante parte do Software como um Serviço não é Software, é Serviço;
  8. Alavanque e monetize os ativos de dados;
  9. “Mind the GAAP”. Numa paródia com a expressão “mind the gap” (cuidado com o degrau, ou o buraco), significa preste atenção aos General Accepted Accounting Principles (princípios contábeis geralmente aceitos nos EUA).  A contabilidade da cloud é tudo sobre casar receitas com despesas para o consumo, além dos serviços profissionais;
  10. Cloudonomics (a economia da cloud) requer que você planeje suas paradas para recarregar de maneira muito cuidadosa.
Se sua empresa, organização ou instituição deseja saber mais sobre a Cloudonomics- economia da cloud, sinta-se a vontade para nos contatar!
Creativante 2017 - Todos os direitos reservados