Tablet Wars (Guerra de Tablets)?

40 13

Será que estamos vivenciando uma “guerra de tablets”? A imprensa internacional pode muito bem chamar desta forma; mas o que certamente estamos vivenciando é uma intensa e complexa competição global no mercado de alta tecnologia de informação e comunicação, com os principais players se posicionando cada vez mais de forma estratégica.

De acordo com recente pesquisa do Gartner Group, a comercialização global combinada de artefatos digitais (PC, tablets e mobile phones) está projetada para atingir 2,32 bilhões de unidades em 2013, um aumento de 4,5% em relação a 2012. O mercado está sendo guiado por uma mudança para preços mais baixos em quase todas as categorias destes artefatos.

A comercialização dos tradicionais PCs (desktop e notebook) está projetada para um total de 303 milhões de unidades em 2013, um declínio de 11,2% em relação a 2012, e o mercado de PCs, incluindo ultramobiles, está projetado a declinar 8,4% em 2013 (ver Tabela 1). A comercialização de mobile phones está projetada para crescer 3,7%, com o volume de mais de 1,8 bilhão de unidades. E o Gartner espera que a comercialização de tablets cresça 53,4% este ano (em relação a 2012), com as vendas atingindo 184 milhões de unidades.

Com um crescimento na comercialização de tablets crescendo nesta intensidade, é natural que a competição neste nicho se agudize. Semana passada a Apple lançou seu novo iPad Air e upgrades no seu iPad Mini. Ao mesmo tempo em que a Nokia lançou o seu Nokia Lumia 2520 e a Microsoft lançou os seus Surface 2 e Surface Pro 2. Além de esperarmos qual artefato produzido pela Microsoft sobreviverá (já que a Microsoft adquiriu a Nokia, o que implica em que uma das duas divisões de hardware vencerá), resta saber os próximos passos de outros players deste nicho, tais como a Samsung e HTC.

Mas o que de fato importa nesta competição é como estão se processando os movimentos dentro de cada plataforma tecnológica que está na base desta disputa. E neste sentido, é importante observar como anda a comercialização dos artefatos aqui tratados em termos dos seus sistemas operacionais, ou seja, aqueles dispositivos que abrem portas para os mercados associados a estas plataformas, como são os mercados de aplicativos.

Segundo o Gartner, o Android permanecerá como o sistema operacional líder de artefatos, caminhando para representar 38% da comercialização em 2013 (ver Tabela 2). O sistema operacional Windows está projetado para declinar 4,3% em 2013 como resultado do declínio das vendas tradicionais de PCs, mas retornará a crescer em 2014 com a comercialização em artefatos aumentado 9,7%.

Um comentário final há que ser dado aos wearable devices (artefatos vestíveis). O Gartner consultou provedores desta tecnologia e a considera uma importante oportunidade de mercado. No entanto, o Gartner espera que estes artefatos irão permanecer primariamente como acompanhantes dos telefones móveis, e menos de 1% dos consumidores irão trocar seus telefones móveis por uma combinação de wearable device e um tablet em 2017.

Se sua empresa, organização ou instituição deseja saber mais sobre tablete wars, não hesite em nos contatar!


tab1 40


tab2 40

Creativante 2017 - Todos os direitos reservados