Startups: Too Small to Support – TSTS solely (Startups: Muito Pequenas para Apoiar exclusivamente)

16 14Em um artigo recente, intitulado “Too Small to Regulate” (Muito Pequenas para Regular), publicado no Banco Mundial como Policy Research Working Paper No. WPS 6860, os economistas Kaushik Basu e Avinash Dixit apresentam o seguinte argumento. Ao longo de anos os economistas defenderam que, para uma economia ou um mercado, é melhor ter muitas pequenas empresas do que algumas poucas grandes.  Muitas empresas significa maior competição (o que se convencionou chamar de “competição perfeita”); significa que usualmente este contexto leva a preços mais baixos, próximos dos custos marginais, e, portanto, alcança-se maior excedente total social e maior eficiência, levando a economia mais próxima de sua fronteira de Pareto

A experiência recente da crise financeira de 2008 trouxe uma nova dimensão a este argumento.  Quando bancos e corporações se tornam grandes, suas falhas têm implicações sistêmicas, causando prejuízos colaterais em indivíduos que podem ter nada a ver diretamente com estes bancos e corporações.  Os governos então se sentem compelidos a resgatar estas grandes entidades de forma a minimizar o prejuízo colateral, e a antecipação de tal socorro promove comportamento descuidado.  Este fenômeno deu origem à doutrina Too Big to Fail – TBTF (Muito Grande Para Falhar).  Segundo os autores acima citados isto levou ao Fundo Monetário Internacional a propor, como uma solução, o limite do tamanho dos bancos.

Neste artigo os autores argumentam que há situações onde “é melhor ter poucas grandes empresas do que muitas pequenas”.  O argumento não é novo. Há situações especiais onde argumentos em favor de monopólio têm sido feitos.  Por exemplo, em se tratando de criação de moeda, é melhor ter somente um agente fazendo isto, nominalmente o banco central.  Em organização industrial, bens complementares são vendidos de forma melhor por um monopolista do que por empresas separadas.

Logo, os autores defendem o seguinte argumento, que tem a ver com o escopo e a eficácia da regulação do governo e do papel do Estado como agência. Em essência, eles argumentam que ter muitas empresas pode torná-las Too Small to Regulate – TSTR (Muito Pequenas para Regular); logo, alternativamente, ter poucas empresas torna mais fácil regulá-las e administrá-las. 

Os autores citam como exemplo o caso da regulação ambiental.  Suponha que todas as empresas em uma indústria sejam requeridas de instalar um equipamento para prevenir a poluição do ambiente.  Para ter certeza que elas irão cumprir, o governo tem que mandar inspetores aos locais para checar.  O mesmo problema surge em outras áreas.  O governo tem que impor padrões mínimos de saúde e segurança em restaurantes.  Somente questionar os restaurantes a fazer isto pode não ser suficiente.  Ou seja, há que se colocar junto um sistema de monitoramento e punição dos que burlarem os padrões.  Autoridades fiscais devem de forma semelhante monitorar as empresas e punir as evasões de impostos.  Todos estes problemas dão margem a desafios de administração.

Em função deste argumento, esta newsletter levanta o seguinte argumento com relação às políticas públicas de suporte/fomento às startups (empresas nascentes, e marcadamente, de tecnologia e inovação) existentes no Brasil. Se o país deseja crescimento econômico no curto e médio prazos, e se também deseja que tal crescimento provenha a partir dos frutos da tecnologia e da inovação, não pode esperar que tal crescimento emerja exclusivamente das startups.  Ou seja, neste caso estamos diante de um mercado com empresas Too Small to Support- TSTS.  Sendo assim, precisamos urgentemente criar, adicionalmente, políticas tanto para mercados com empresas de alto potencial de crescimento (que são poucas, quando comparadas com as startups), quanto para aqueles de empresas de porte médio que tenham condições de alcançar maiores mercados, como os mercados internacionais. Continuaremos com este argumento na próxima newsletter!

Se sua empresa, organização ou instituição deseja saber mais sobre mercados Too Small to Support- TSTS, ou mercados Too Small to Regulate- TSTR, não hesite em nos contatar! 

Creativante 2013 - Todos os direitos reservados