Explicando o rápido sucesso do iPhone da Apple

26 14Na newsletter da semana passada discutimos brevemente o sucesso e o fracasso do sistema operacional Symbian, que foi fortemente comercializado pela Nokia.  Ambos foram superados pelo sistema operacional iOS da Apple (marcadamente pelo iPhone), bem como pelo sistema Android da Google.  Mas, o que de fato concorreu para o sucesso do iPhone da Apple?

Em um artigo publicado em 2010 na revista Telecommunications Policy, intitulado “Browsing as the killer app: Explaining the rapid success of Apple`s iPhone” (Navegando como a aplicação matadora: Explicando o rápido sucesso do iPhone da Apple), Joel West e Michael apontam que desde meados dos anos 1990 a indústria do telefone móvel buscou ampla adoção dos serviços móveis de dados, visualizando uma “nova Internet móvel” com sua própria rede de valor complexa entregue através de terminais chamados smartphones.  Com seu iPhone, a Apple rapidamente ganhou fatias do mercado de smartphones enquanto estimulava ampla adoção dos serviços móveis de dados.

No artigo os autores argumentam que o sucesso do iPhone foi baseado na concepção da Apple da Internet móvel como sendo uma outra modalidade diferente da então existente Internet por fios, e sua alavancagem das competências de sistemas existentes.  O artigo demonstra como uma promessa para entregar a “Internet real” foi o centro da estratégia original da Apple, e que os usuários do iPhone rapidamente mostraram um interesse em navegar na Internet desproporcional a qualquer outro telefone móvel nos EUA e na Europa.  A partir daí, as implicações para o desenvolvimento da Internet móvel em outros países são identificadas, bem como para a criação e captura de valor futuro nas redes de valor de telefone móvel.

De fato, depois que as redes de operadoras de telefonia em países desenvolvidos atingiram altas taxas de penetração para serviços móveis para voz, sua maior esperança para crescimento da receita se tornou crescentemente o uso de serviços móveis de dados. Estes serviços eram usados para justificar o desenvolvimento dos padrões para a 3ª geração de telefones móveis, bem como os bilhões de euros gastos na Europa em infraestrutura de espectro e update de redes.

No entanto, ao contrário da crença da época de que era necessário se criar uma nova versão da Internet antes que os dados móveis pudessem ter sucesso, a Apple focou em recriar o telefone móvel para fazer dele um bom cliente para os já maduros ecossistemas da Web por fios, enquanto, ao mesmo tempo, alavancando seu existente ecossistema de conteúdo iTunes e outros elementos de suas competências em sistemas de integração.

Ao ser introduzido em 2007, o iPhone mostrou ser uma inovação radical.  Como um artefato, ele diferia dos telefones móveis tradicionais ao ter uma grande tela para se ver vídeo e a Web, um browser baseado nos padrões dos PCs, mais do que um reescrito para celulares, uma interface para usuário com rotação e zoom projetado especificamente para o toque de tela, e nenhum teclado físico.  Todavia, o mais saliente do iPhone é que ele foi projetado como um componente integrado em dois sistemas de valor existentes, mais do que um aparelho stand-alone. 

Esta tendência em direção a projetos de sistemas integrados além de ter raízes na estratégia dos PCs da Apple, demonstra que não somente foram elementos de natureza tecnológica que firmaram o sucesso do iPhone, mas também os fatores organizacionais que asseguraram a posição da Apple como um ecossistema, quanto também como uma formuladora de uma inteligentíssima arquitetura de negócios (para assinalar esta importante característica, basta recordar que a Samsung é uma das principais fornecedoras de componentes do iPhone, e, ao mesmo tempo sua principal competidora na comercialização destes aparelhos).

Ainda há muito a se aprender no entendimento do sucesso recente da Apple, e particularmente do seu iPhone.  Mas não resta dúvida que este smartphone revolucionou os costumes pela forma como passamos a lidar com três áreas antes praticamente separadas: telefonia, computação e serviços da Internet!

Se sua empresa, organização ou instituição deseja saber mais sobre o iPhone, fique a vontade para nos contatar!

Creativante 2017 - Todos os direitos reservados