A guerra dos dispositivos para pagamentos móveis de transações econômicas

39 14

Na newsletter de 05/10/2014 nós introduzimos uma discussão sobre o que estava por trás do spin-off do Pay-Pal da Ebay.  O que nós trazemos hoje à discussão é que, aprofundando aquilo afirmado na nossa newsletter, existe uma verdadeira guerra dos dispositivos para pagamentos móveis de transações.  Ou seja, o surgimento do Apple Pay tem mexido sensivelmente com os atuais interesses associados aos pagamentos de transações econômicas.

Antes mesmo do Apple Pay, cadeias tradicionais do comércio dos EUA estavam conspirando para bypassar as taxas de 2 a 3% cobradas a elas por empresas de cartão de crédito quando os consumidores pagam com crédito. Uma empresa chamada MCX (Merchant Customer Exchange), liderada pelo Walmart, havia começado a desenvolver uma solução de pagamento móvel que se tornaria um aplicativo denominado CurrentC, que está sendo preparado para lançamento nas app stores.

Ao invés de usar NFC, o CurrentC usa códigos QR mostrados na tela de um caixa e scanneados pelo celular do consumidor ou vice-versa para iniciar e verificar a transação.  O sistema é também projetado para fazer descontos automáticos, usar programas de lealdade, e cobrar as compras através de uma variedade de métodos de pagamentos sem passar por dados financeiros sensíveis para o comerciante.

As empresas que aglutinadas à MCX operam mais de 110 mil localizações de varejo e processam mais de US $ 1 trilhão em pagamentos anualmente, com uma parte significativa vinda na forma de pagamentos com cartão de crédito, que remetem a taxas pagas pelos comerciantes.

O Walmart sempre expressou seu desdém em relação às taxas de processamento de cartões de crédito, e mesmo preencheu uma ação anti-truste contra as bandeiras Visa e MasterCard em 2003, mas rejeitou o acordo que elas ofereceram porque ela precisa mais.

A ideia central por trás da MCX era que se vários varejistas se agrupassem, eles poderiam convencer os consumidores a adotar seu sistema de pagamento móvel que permitiria evitar as taxas dos cartões de crédito (de 2 a 3%) ao processar os pagamentos através de transações automáticas por contas bancárias que tivessem taxas menores.  O aplicativo da MCX poderia também ajudar os varejistas ao encorajar lealdade dos comerciantes participantes, e, possivelmente, oferecer inteligência adicional aos seus consumidores. Se o aplicativo da MCX pegasse tração, os parceiros varejistas poderiam escapar das toneladas de taxas, as quais poderiam aumentar diretamente seus lucros.  Alternativamente, eles poderiam usar a alavancagem da MCX e ameaçar um by-pass do processo de taxas para negociar taxas menores com as empresas de cartão de crédito. O aplicativo CurrentC está agora nas stores do iOS e do Android.

O que os atuais patrocinadores do CurrentC não contavam era com o desenvolvimento do Apple Pay, e com o poder de mercado que a Apple alavanca com sua base global de usuários. Mas esta questão de competição por mercado (por parte da Apple) é algo que preferimos deixar para outra oportunidade!

Se sua empresa, organização ou instituição deseja saber mais sobre dispositivos de pagamentos móveis de transações econômicas, fique a vontade para nos contatar!

Creativante 2017 - Todos os direitos reservados