Organizações Exponenciais

40 14

Eis aí um livro imperdível! Seu título acima [complementado com o sub-título: Porque novas organizações são dez vezes melhores, rápidas, e baratas do que as suas (e o que fazer a respeito)] já diz muita coisa, mas acima de tudo seu conteúdo é extraordinário! Este livro, escrito por Salim Ismail (tendo como co-autores Michael S. Malone e Yuri van Geest), e publicado mês passado pela Singularity University e pela Diversion Books, é uma leitura quase obrigatória para aqueles que desejam entender como o mundo está sendo moldado pelas novas tecnologias, e como elas podem ser usadas, através de um novo tipo de organização, para transformar o mundo em algo cada vez melhor.

O conceito de Organização Exponencial (em inglês Exponential Organization- ExO) surgiu na Singularity University (uma universidade cuja missão é “educar, inspirar e empoderar líderes a aplicarem tecnologias exponenciais para enfrentar os grandes desafios da humanidade”), organização fundada por Peter H. Diamandis (empreendedor e autor do best seller “Abundance—the Future is Better Than You Think”), e por Ray Kurzweil (inventor internacionalmente reconhecido, empreendedor e hoje Diretor de Inteligência Artificial do Google), e que é dirigida por Salim Ismail.

A visão de Salim sobre a ExO é poderosa.  Segundo ele, potentes forças estão emergindo no mundo – tecnologias exponenciais, o DIY innovator (o inovador diy- do it yourself- faça você mesmo), crowdfunding, crowdsourcing, e a emergência de bilhões de pessoas no mundo – que irão nos dar o poder para resolver muitos dos grandes desafios da humanidade, e o potencial de atingir as necessidades de cada homem, mulher e criança nas próximas duas ou três décadas.  Estas mesmas forças estão agora empoderando cada vez times menores a fazer aquilo que era somente possível via governos e grandes corporações.

Mas o que é uma ExO?  Segundo Salim e seus co-autores, uma ExO é uma organização cujo impacto (ou produto) é desproporcionalmente grande – pelo menos dez vezes maior – quando comparado ao dos seus pares porque ela usa novas técnicas organizacionais que alavancam tecnologias aceleradoras.  Mais do que usar exércitos de pessoas ou grandes plantas físicas, as ExO são construídas com tecnologias de informação – TIs (ou TICs) que transformam o que foi uma vez físico, por natureza, e o desmaterializa em algo digital e sob demanda no mundo.

De acordo com os autores, deve haver um modo melhor de nos organizarmos.  Nós aprendemos a escalar tecnologias; agora é a hora de nós aprendermos como escalar organizações. Esta nova era clama por uma diferente solução para a construção de novos negócios, para melhorar as taxas de sucesso e para resolver os desafios que estão à nossa frente.  Esta solução é a Organização Exponencial- Exponential Organization- ExO.  E para dar conta deste novo conceito, os autores apresentam exemplos de empresas que surgiram, tornaram-se líderes em seus ramos de negócios, mas foram rapidamente suplantadas por novas organizações.

Essas novas organizações representam uma estrutura mais adequada para enfrentar o acelerado, não-linear, e cada vez mais impulsionado pela web passo da vida moderna.  E para atingir essa escalabilidade, essas ExOs (moldadas pelas TICs, tais como Quirky, Local Motors, AirBnb, Uber e tantas outras) mais do que fazerem uso da propriedade de ativos ou de forças de trabalho (almejando retornos incrementais a partir destes ativos), procuram alavancar recursos externos (leveraged assets) para atingir seus objetivos.

Logo, a diferença fundamental que vem ocorrendo na base das ExOs pode ser observada no tratamento da questão uso dos recursos.  Quando o ativo trabalhado é raro, ou extremamente escasso, a propriedade é a melhor solução para lidar com este ativo.  Mas se o ativo é baseado em informação, ou todo comoditizado, logo acessar este ativo é uma melhor solução do que possuí-lo. 

Em resumo, uma das questões chave por trás do sucesso das novas ExOs é que neste mundo de grandes transformações nós também estamos vivenciando uma mudança no próprio conceito de propriedade de ativos; ou seja, no mundo da escassez, a propriedade privada dos meios de produção é um imperativo da alocação dos recursos para a satisfação dos desejos infinitos das pessoas. Mas no mundo da abundância, marcadamente de informação e de ativos baseados em informação, o acesso aos ativos, e não sua propriedade, passa a ser um ingrediente fundamental na alocação dos recursos.  Bem vindo, efetivamente a uma Nova Economia!

Se sua empresa, organização ou instituição, deseja saber mais sobre organizações exponenciais, não hesite em nos contatar!

Creativante 2017 - Todos os direitos reservados