A Crise Econômica Brasileira: um diagnóstico perturbador

34 15Ao longo de mais oito anos esta newsletter tem procurado discutir e difundir aspectos os mais variados relacionados com o desenvolvimento das tecnologias de informação e comunicação- TICs, e com questões de inovação e de gestão. Pouquíssimas foram as oportunidades em que sugerimos assuntos relacionados com a economia brasileira, já que a audiência para elas não tem sido das melhores (salvo exceções, como aquela do dia 07-11-2010).

No entanto, diante da atual crise econômica (aliada à crise política e à crise moral) que o Brasil está atravessando, não poderíamos nos furtar de apresentar aos nossos leitores um recente diagnóstico sobre esta crise, o qual está repercutindo muito em função da sua natureza (clareza e profundidade), bem como pela experiência e competência do seu autor.

Trata-se de um diagnóstico elaborado pelo Economista e Professor da PUC-RJ Gustavo Franco, que foi um dos pais do Plano Real (que estabilizou a economia brasileira nos anos 1990s), tendo sido Presidente do Banco Central, e hoje é um bem sucedido investidor e operador do mercado financeiro através da sua administradora de investimentos Rio Bravo.

Este diagnóstico foi apresentado no dia 17/09/2015 em Brasília por ocasião dos 20 anos do Instituto Teotônio Vilela - ITV, órgão de estudos e formação política ligado ao PSDB - Partido da Social Democracia Brasileira (*).  O diagnóstico do Prof. Gustavo Franco pode visto através de sua palestra no ITV neste vídeo, que também aponta para outras palestras de economistas ligados ao PSDB.  A palestra do Prof. Franco é acompanhada de um conjunto de slides que pode ser visto neste link.

O diagnóstico do Prof. Franco (intitulado “Dilemas Macro: Temas Estruturais para 2015 e Adiante”) é subdividido em quatro etapas, a saber:

1. O olhar sobre a FEBRE: Juros & inflação.

2. A INFECÇÃO (1): Crise fiscal e pedaladas

3. A INFECÇÃO (1I): Temas do setor real: produtividade, demografia e globalização

4. A INFECÇÃO (I1I): Temas do setor real: globalização

O item 1 é o que ele destaca como sendo os “sintomas” (efeitos) da crise econômica brasileira recente, e os demais são suas “causas”.  No item 1 é dado destaque à interrupção recente da trajetória da queda da taxa de juros no país, e à emergência do fenômeno da dominância fiscal, ou seja, quando a política monetária vai sendo frustrada pela política fiscal.  Neste contexto, o Prof. Franco faz um importante destaque dos fenômenos de criação de riqueza (desde o período do Plano Real até a crise financeira internacional, nos anos 2008/09) e de destruição de riqueza, a partir das novas medidas de orientação de política econômica de tentativa de mitigação desta crise internacional, em diante.

Depois do registro destes “sintomas”, o Prof. Franco faz uma profunda análise descritiva das principais “causas” desta crise econômica nacional, dando ênfase às questões relacionadas com a dívida pública nacional, com o déficit público, e com uma série “malabarismos fiscais” (introduzidos na gestão econômica do país nos anos recentes).  Finalmente, são tecidas considerações sobre a produtividade e a demografia no Brasil, culminando com os temas do câmbio e globalização.

Eis aí um diagnóstico realmente perturbador sobre a crise econômica nacional, mas que vem acompanhado de um conjunto de proposições. Cabe aguardar para ver quando mais e mais brasileiros se darão conta da importância deste diagnóstico, e pressionarão para a implementação das medidas de solução necessárias para superação da crise.

Se sua empresa, organização ou instituição desejam saber mais sobre a crise econômica do Brasil, não hesite em nos contatar!

(*) Salientamos, de antemão, que não temos vinculação política com qualquer partido político brasileiro.

 

banner

 

Creativante 2017 - Todos os direitos reservados