A nova onda em software é OAS- Open Adoption Software

19 16De acordo com Jake Flomenberg, colaborador da Accel, empresa de venture capital americana, há uma grande mudança acontecendo em como empresas compram e empregam software.  Nos últimos anos, a tecnologia aberta – software que é aberto a mudanças e livre para adoção – tem deixado de ser uma exceção para ser a regra na maioria das empresas. 

Segundo Flomenberg nós temos visto o IT stack (a “pilha” de TI) no topo dos grandes projetos de open-source, com desenvolvedores optando por um enfoque “open-first” para desenvolver soluções (Figura 1 à frente).  Mais de 78% das empresas rodam em open-source e pouco menos de 3% indicam que eles não dependem de open-source, de acordo com uma pesquisa de mercado conduzida pela Black Duck Software.

Projetos como Hadoop, Cassandra, Docker e Mule estão se infiltrando mesmo nas organizações mais conservadoras e dogmáticas. Como tal, startups como Cloudera, DataStax e MuleSoft estão gerando milhões de dólares em receita a cada ano a partir de consumidores empresariais reais ao venderem produtos de valor adicionado, proprietário, em torno dos seu projetos open-source.

Isto, segundo Flomenberg, é uma nova onda em software – uma que não somente desloca mercados incumbentes, mas cria mercados totalmente novos.  Ele chama estas empresas de Open Adoption Software (OAS) companies (empresas de adoção de software aberto), e ele acredita que elas estão inclinadas a desenvolverem negócios de significado e promovendo grandes resultados econômicos.

Para Flomenberg as empresas OAS são construídas de forma diferente.  Elas atravessam três fases do desenvolvimento de empresas: Project, Product and Profit (Projeto, Produto e Lucro). Empresas construídas no topo deste modelo 3P necessitam ser olhadas igualmente, e percebidas como sendo seguidoras de padrões financeiros semelhantes às empresas tradicionais de negócios de software quando elas atingem a fase “Profit”. 

Flomenberg identifica algumas tendências que estão levando os consumidores para esse novo modelo:

A Necessidade de Velocidade e Controle: a demanda por inovação e rápida entrega significa que as empresas necessitam de agilidade do software que elas adotam;

Tudo está na Escala Web: as empresas estão entregando soluções para uma sempre conectada, e global, base de usuários;

Poder do Desenvolvedor e Efeitos de Rede: CIOs estão empoderando os desenvolvedores a fazerem download e a adotarem os projetos que eles precisam para inovarem. Desenvolvedores estão olhando para tecnologias guiadas por comunidades onde eles adotam, empregam e participam.

Adicionalmente, Flomenberg aponta que com cada onda sucessiva de tecnologia – do mainframe para cliente-servidor, passando por X”aaS (IaaS, SaaS, etc.) até OAS (ver Figura 2 à frente) – o software se tornou progressivamente mais fácil de adotar (pelos comentários do artigo aqui tratado esta facilidade não é tão consensual assim). Portanto, a adoção tem acontecido mais rápida e tem atingido uma audiência cada vez maior do que a onda anterior.

Finalmente, Flomenberg aponta que enquanto empresas OAS promovem a adoção mais rápido do que seus contrapartes completamente proprietários, a condição de serem abertamente adotadas não é uma panaceia.  E particularmente à medida que os vendedores de cloud pública começam a hospedar projetos de open-source como um serviço, é tremendamente importante que essas empresas decidam ponderadamente que partes do produto serão abertas e quais não serão.

Se sua empresa ou organização deseja saber mais sobre empresas OAS, fique a vontade para nos contatar! 

 

l19F1

l19F2

 

banner