Tecnologia não tira empregos!

39 16O medo do desemprego voltou a povoar as mentes em várias nações do planeta. Antes se falava no fenômeno da globalização, mas agora o receio é o de que as máquinas irão tirar os empregos das pessoas, principalmente com os avanços da inteligência artificial e da robótica. Depoimentos como os do Prof. Steve Hawking (de que o desenvolvimento da inteligência artificial total poderia significar o fim da raça humana) e do empresário Elon Musk, da Tesla e do SpaceX (de que certas direções que a inteligência artificial  pode tomar podem não ser boas para o futuro), contribuem para intensificar o temor.

No entanto, gostaríamos de colocar um argumento que caminha numa direção oposta.  Gostaríamos de defender que, ao contrário do que se vem apregoando, a tecnologia não tira empregos, ela aumenta sim as capacidades dos seres humanos. E para apoiar esse argumento nos valemos, entre outros, do artigo recentemente publicado pelo empresário Tim O´Reilly, intitulado “Don´t Replace People. Augment Them” (Não Substitua Pessoas. Aumente-as). 

Ao apontar para um recente artigo da empresa McKinsey, intitulado “Where Machines Could Replace Humans and Where They Can´t Yet” (Onde Máquinas Podem Substituir Humanos e Onde Elas Não Podem Ainda), O´Reilly argumenta que, apesar dos autores do artigo colocarem a discussão em perspectiva, eles não fazem a pergunta chave, que na sua opinião é a seguinte: “What will new technology let us do that was previously impossible?” (O quê a nova tecnologia irá nos permitir fazer que antes era impossível?).

O´Reilly se utiliza até de um evento ocorrido com ele próprio, quando dez anos atrás se submeteu a uma bem sucedida cirurgia oftalmológica a laser, depois de passar quarenta anos usando óculos, e de ser considerado legalmente cego sem usar os óculos. A cirurgia foi feita com a ajuda de um complexo equipamento de alta tecnologia e de uma equipe de técnicos especializados. O´Reilly afirma que uma cirurgia tão sofisticada como aquela nunca poderia ter sido feita por um ser humano “não aumentado” (expressão dele).  O toque humano de sua fantástica cirurgiã oftalmológica foi emparelhado com a acurácia inumana de máquinas complexas, um híbrido do século 21 livrando O´Reilly da tirania de dispositivos assistivos (óculos) primeiramente inventados na Itália do século 13.

Neste sentido, aqui está o cerne da questão.  O que O´Reilly coloca é a verdadeira oportunidade da tecnologia: ela estende a capacidade humana.  Segundo ele, há muita preocupação sobre a possibilidade da tecnologia eliminar empregos humanos, e muito pouca imaginação sobre os novos empregos que podem somente ser feitos com a ajuda da tecnologia.

Para O´Reilly há uma profunda falta de imaginação e vontade na economia de hoje.  Para cada Elon Musk que deseja reinventar a infraestrutura de energia do mundo, construir novas formas revolucionárias de transporte, ir à Marte, e forjar carros autônomos (sem motoristas), há muitas empresas que simplesmente cortam custos e tiram o dinheiro da economia.

Em resumo, O´Reilly defende que a forma como enfrentamos o futuro importa muito!  Se nós criamos uma atitude de medo em relação à tecnologia, nós perdemos uma grande oportunidade de colocá-la para trabalhar resolvendo problemas que nos afligem hoje. É nossa responsabilidade, como empreendedores e tecnologistas, de repensar o que é possível!

Nós que fazemos a Creativante temos a mesma posição de Tim O´Reilly.  E, ao contrário das visões alarmantes sobre os “perigos da tecnologia” para os empregos humanos, cremos que a tecnologia pode e deve ser usada para aumentar nossas capacidades humanas! Não adianta lutar “contra” a tecnologia; vamos fazer dela nossa aliada!

Se sua empresa, organização ou instituição deseja saber mais sobre as possibilidades da tecnologia em aumentar as capacidades humanas, não hesite em nos contatar! 

 

banner

Creativante 2013 - Todos os direitos reservados