Impactos de Políticas de Inovação: Síntese e Conclusão

25 17O título acima é o mesmo de um artigo de 2013 publicado pela NESTA - National Endowment for Science, Technology and the Arts, uma fundação privada britânica, e foi desenvolvido por Jakob Edler, Paul Cunningham, Abdullah Gok, e Philip Shapira, todos do Manchester Institute of Innovation Research, em Manchester, Inglaterra.

Ele é parte do Projeto Compêndio de Evidência Sobre a Efetividade da Intervenção de Política de Inovação (1), e sintetiza os seus principais achados e discernimentos.  O Compêndio compilou e avaliou a evidência sobre os impactos de um leque de políticas de inovação.  No total, o Compêndio consistiu de 18 relatórios separados sobre instrumentos de política de inovação, e um sobre mix e interplay de política.  No geral, perto de 800 relatórios e artigos acadêmicos foram revisados, cobrindo instrumentos no Reino Unido e nos maiores países desenvolvidos. O Manchester Institute of Innovation Research produziu o trabalho com patrocínio da NESTA.

A revisão apresenta uma tipologia que foi desenvolvida para capturar a variedade de intervenções de política de inovação.  Esta tipologia distinguiu entre instrumentos do lado da oferta (supply-side) (influenciando geração de inovação) e instrumentos do lado da demanda (demand-side) (influenciando aqueles requerendo, comprando e aplicando inovações).  A tipologia também organizou os instrumentos de acordo com sete grandes metas de políticas de inovação: (1) aumentar o investimento em pesquisa e desenvolvimento; (2) aumentar habilidades; (3) possibilitar acesso à expertise; (4) fortalecer capacidades em todo o sistema e explorar complementaridades; (5) fortalecer a demanda por inovação; (6) melhorar as estruturas para inovação, incluindo regulação e padrões; (7) facilitar a troca e o diálogo sobre inovação.

A revisão sumariza a evidência disponível sobre o desempenho de medidas específicas ao longo desta tipologia contra racionales e objetivos de políticas, mantendo em mente os limites da avaliação e metodologias de julgamento.  Isto oferece discernimentos sobre como os instrumentos alcançam as metas de políticas, que efeitos elas têm nas suas circunstâncias particulares, e que ressalvas são aplicáveis.

A revisão conclui que a evidência disponível oferece um grande reservatório para aprendizado de políticas, mas estressa a importância de análise de políticas que mais sistematicamente vinculem intervenção de política de inovação com efeitos comportamentais de longo prazo, e para o crescimento econômico, criação de empregos e mudanças sociais.

A tabela a seguir dá uma pequena ideia da dimensão do trabalho realizado pelos autores em termos dos instrumentos e metas analisados, em termos de orientação e de sua relevância. Ela mostra, por exemplo, que se a meta principal é aumentar o gasto de P&D, podem existir dois tipos de efeitos: primários e secundários. No caso, os efeitos primários apontados seriam basicamente aumento positivo da adicionalidade de insumos (2), potencialmente aumentando com o tempo, e adicionalidade de produtos (novos produtos e processos), tendendo a ser positiva, mas não há clara evidência sobre a produtividade.

Eis aí um trabalho de fôlego, inédito, e que deveria ser lido por todos aqueles que se preocupam com os impactos de políticas de inovação!

Se sua empresa, organização ou instituição, deseja saber mais sobre impactos de políticas de inovação, fique a vontade para nos contatar!

 

l25F1

 

(1) Política de Inovação neste Compêndio é definida como intervenção pública para dar suporte à geração e difusão de novos produtos, processos e serviços. Isto compreende um amplo leque de políticas, programas, e iniciativas.

(2) Sobre o conceito de adicionalidade, ver a newsletter de 03 de julho de 2016.

banner

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Creativante 2017 - Todos os direitos reservados