ONCASE Tecnologia da Informação S.A.

11 18Na newsletter da semana passada começamos a falar sobre a ONCASE, jovem empresa pernambucana sediada no Porto Digital, que nasceu e se estabeleceu como uma empresa de consultoria especializada em soluções de Business Analytics, Business Intelligence e Big Data.

No ano passado, a ONCASE recebeu um aporte do Fundo de Investimento em Participações CRIATEC II (fundo de venture capital criado pelo BNDES), e está passando por um processo de transformação estratégica (e organizacional) que é merecedora de um tratamento especial nesta newsletter a partir de hoje.

De uma empresa de consultoria especializada, a ONCASE está se transformando em uma empresa plataforma (ver conceito aqui, ou aqui) voltada para a oferta de produtos e serviços especializados nas áreas de Big Data, Analytics e Data Science. Seu principal mantra é o de “developing data-driven culture” (desenvolver uma cultura orientada a dados).

Como já corroboramos em capítulo de livro internacional, “data is the new oil”, um mantra já afirmado em várias oportunidades (por exemplo, ver aqui, ou aqui); e como tal, desenvolver uma cultura orientada a dados passou a ser uma necessidade básica das empresas e organizações para a garantia de sustentabilidade econômica ou conquista de diferencial competitivo.

Neste sentido, a ONCASE, consciente dos desafios da gestão de negócios na era digital, tem como crença que a entrada nessa nova era passa necessariamente pela implementação de melhorias graduais e contínuas, em forma de processos, enfrentando tais desafios de maneira adaptativa para a geração de impacto real nos negócios através de uma cultura analítica.

Sendo assim, a ONCASE tem como pressuposto a noção de “curva de maturidade no uso de dados nas organizações”, tal como sugerido por Cristopher S. Penn, em um post para a IBM. Ou seja, as empresas ou organizações se apresentam no mercado em diferentes estágios de maturidade no uso de dados. Tal como apresentado na Figura 1 à frente, as empresas podem ser identificadas a partir de cinco níveis evolutivos de maturidade no uso de dados:

  1. a)Data-Resistant (ou Data-Negation): O mantra deste tipo de empresa é “nós sempre fizemos dessa maneira”. Neste tipo de empresa não há coleta sistemática de dados e decisões são empíricas e individualizadas;
  2. b)Data-Aware (ou Data-Curious): Aqui dados são coletados sem uma estratégica clara de propósito. Não há uma arquitetura de informação orientada a dados definida. Empresas neste estágio possuem sistemas de ERP, CRMs e Relatórios operacionais. A maioria das empresas brasileiras se encontra neste nível;
  3. c)Data-Guided: Início de análises descritivas e exploratórias. Dados coletados com indicadores de desempenho definidos que apresentam resultados passados. Uso de sistemas de business intelligence com decisões colegiadas;
  4. d)Data-Savvy: Dados são coletados e enriquecidos sistematicamente, com alta qualidade das fontes de informação e processamento em alta velocidade. Geração automática de recortes para análises preditivas e prescritivas. Decisões humanas, baseadas em métricas estatísticas robustas;
  5. e)Data-Driven: Estado da arte na gestão orientada a dados. Dados coletados e enriquecidos sistematicamente com decisões executadas de modo automático ou semi-automático, por mecanismos de inteligência artificial com grande nível de transparência.

A ONCASE considera que nos três níveis iniciais podem ser levadas a efeito otimizações operacionais, e nos estágios seguintes entende que é onde se encontram as oportunidades de inovação data-driven (orientadas a dados).

Na próxima newsletter daremos continuidade à apresentação da ONCASE!

Se sua empresa ou organização deseja saber mais sobre os produtos e serviços da ONCASE, não hesite em nos contatar (ou à própria ONCASE)!

l119F1

banner

Creativante 2017 - Todos os direitos reservados