Por que a maioria das iniciativas de inovação fracassa?

04 19Inovação entrou no vocabulário dos negócios de forma definitiva. É difícil entrar numa roda de discussões empresariais em que o termo não seja citado. Por um lado, uns citam que estão desenvolvendo iniciativas internas (on premises), e outros dizem que estão buscando soluções externas, interagindo com startups; por outro lado, novos empreendedores (startups) buscam oportunidades a partir de novas tecnologias e novos modelos de negócios. A questão que permanece é: qual é a melhor estratégia?

Alguns dogmas se cristalizaram no entorno das respostas a esta questão. O principal deles é o de que empresas estabelecidas (e grandes) raramente são vistas como fontes de inovação. Ao longo de décadas, uma barragem de escritos, notícias, e aulas e palestras têm nos condicionado a aceitar como “lei” que escala inibe inovação. À medida que as empresas crescem, diz a narrativa, elas inevitavelmente sofrem de esclerose organizacional, e se tornam meras sombras da dominante posição que já ocuparam. É uma estória depressiva que, infelizmente, retorna de tempos em tempos.

Um livro recente, intitulado “Creative Construction: The DNA of Sustainable Innovation” (Construção Criativa: o DNA de Inovação Sustentável), do Prof. Gary P. Pisano, da Harvard Business School, nos EUA, desafia este dogma de que, à medida que as empresas crescem, elas inevitavelmente perdem sua capacidade para inovação transformadora. Ao longo de uma carreira de mais de trinta anos, o Prof. Pisano trabalhou com empresas de todos os tipos, desde a menor startup até as maiores corporações do planeta. Ele viu muitas grandes empresas cuja inércia, burocracia, miopia, e cultura as deixaram muito paralisadas para empreender qualquer coisa, mesmo inovação incremental. Mesmo quando elas tentaram rejuvenescer através de algum tipo de “iniciativa de inovação”, ele viu mais fracassos do que sucessos.

Esses casos pareciam confirmar a hipótese prevalente de que larga escala e inovação não se misturam. No entanto, quando ele mergulhou mais no assunto, ele começou a perceber que a causa raiz desse mal-estar, e a razão pela qual tantas iniciativas de inovação fracassam, tem mais a ver com práticas de gestão e liderança do que com escala organizacional per se. Logo, quanto mais ele olhava (e quanto mais ele comparava com a experiência das pequenas startups), mais ele acreditava que escala, “se propriamente explorada”, pode ser, na realidade, uma vantagem, e não um passivo, para a inovação.

Ele também mergulhou em décadas de literatura acadêmica sobre os motores da performance inovativa. Suas pesquisa e experiência, bem como com o trabalho com outros especialistas, os levaram a concluir que o crescimento da empresa e tamanho não necessitam traduzir no fim dos dias inovativos da organização. Para o Prof. Pisano a performance inovativa está enraizada numa combinação de estratégia, sistemas organizacionais, e cultura, os quais são conformados pela liderança. Logo, o livro explora como os líderes tanto de empresas crescentes quanto grandes estabelecidas podem desenvolver estratégias, projetar sistemas, e construir a cultura requerida para performance inovativa sustentável.

Sendo assim o Prof. Pisano dividiu seu livro a partir destas três questões que são vitais para o sucesso de uma iniciativa de inovação. A Parte I se intitula “Creating An Innovation Strategy” (Criando uma Iniciativa de Inovação), com quatro capítulos; a Parte II se intitula “Designing The Innovation System” (Projetando o Sistema de Inovação), como três capítulos; e a Parte III se intitula “Building the Culture” (Construindo a Cultura), com três capítulos.

O livro traz exemplos de iniciativas de inovação (e empresas) que fracassaram (Xerox, Polaroid, DEC, Nokia, RIM, Sun Microsystems, AT&T, Yahoo), e de grandes empresas que, apesar de sua escala continuaram a ter iniciativas de inovação de sucesso (IBM, Monsanto Corporation, Bell Labs, Apple, Amazon, Alphabet (antes Google), além de detalhes importantes sobre cada um dos três ingredientes ressaltados para uma iniciativa de inovação de sucesso.

Eis aí um livro imperdível que recomendamos sem hesitação, principalmente para as empresas existentes (e grandes)!

Se sua empresa, organização, ou instituição deseja saber mais sobre como estabelecer iniciativas de inovação, não hesite em nos contatar!

 

banner

Comentários   

 
0 #1 Eratóstenes Araújo 18-02-2019 23:18
Boa referência para as citações das empresas que tenho usado para exemplificar os dois grupos de grandes empresas: as que fracassaram e as que continuaram no mercado com sucesso, tendo como base as iniciativas de inovação. Tks.
Citar
 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar

Creativante 2017 - Todos os direitos reservados