Ecosystem orchestration: How to thrive in the increasingly networked digital economy (Orquestração de Ecossistemas: Como prosperar na crescentemente economia digital em rede)

16 19O título acima é o título de uma dissertação de mestrado em informática defendida em 2018 por Frida Magnusdotter Ivarsson no Departmento de Tecnologia da Informação Aplicada, da University of Gothenburg, na Suécia. Um resumo da dissertação pode ser traduzido da seguinte maneira.

Ecossistemas, um conceito usado para descrever redes inter-organizacionais externas de atores, é um conceito fortemente relacionado à economia digital. Quando empresas se tornam crescentemente conectadas em rede, as fronteiras organizacionais tendem a desaparecer, o que desafia as noções das empresas de serem entidades isoladas. Entender como lidar com essa mudança se tornou um grande desafio. Para trazer luzes a esses desafios, a dissertação desenvolveu um framework para orquestração de ecossistema, isto é, gerenciar essas relações inter-organizacionais em rede, para a economia digital.

Enquanto os estudos prévios geralmente abordaram um enfoque centrado em plataformas, a dissertação conduziu um estudo de caso aprofundado de uma empresa incumbente na indústria de florestas da Suécia para obter um entendimento mais profundo da orquestração de ecossistema, complementando a pesquisa existente com um enfoque centrado em ecossistemas.

Ao combinar a literatura de ecossistemas e de plataformas com a literatura convergente de redes de inovação, a pesquisa adicionalmente contribui para um entendimento unificado desses fluxos de literatura. A dissertação conclui em como a orquestração de ecossistema na economia digital consiste de orquestração de processos não-digitais e digitais que precisam ser dualmente gerenciados por empresas incumbentes, à medida que a digitalização varre ao longo do ecossistema.

Na dissertação a autora argumenta que empresas incumbentes precisam integrar design/projeto de processos de ecossistemas com a orquestração digital do ecossistema ao alavancar o potencial da economia digital. Adicionalmente, os processos de orquestração digital são defendidos como sendo superiores aos não-digitais na medida em que são muito mais escaláveis, onde processos de orquestração não-digital são limitados pelo número de empregados.

Os achados da dissertação revelam adicionalmente as preocupações concorrentes que afloram quando práticas existentes da orquestração de ecossistema são desafiadas com processos de orquestração digital, constituindo um desafio para as empresas incumbentes à medida que papeis são mudados. De uma perspectiva ampla, a pesquisa contribui para nosso entendimento de como mercados, bem como mercados de trabalho, estão sendo transformados pela digitalização.

Depois de uma revisão da literatura, a autora define o que é a orquestração de ecossistema. Segundo ela. Com uma crescente visão centrada em ecossistemas, as empresas estão tendo que mudar “para fora” o olhar, e, então, necessitam repensar como os relacionamentos externos são gerenciados. Esses processos contrastam com os mecanismos de controle formais enfatizados na lógica industrialista, e, então, requerem outros processos que os antigos relacionamentos de autoridade gerencial e contratual.

Muito ao contrário, a teoria das relações em rede frouxamente determinadas aponta que as relações precisam ser gerenciadas com mais delicadeza, definida como “subtle leadership” (liderança sutil), um importante aspecto claramente enfatizado no framework que a autora introduz. A orquestração de ecossistema tem sido comparada com estado de governança, com a meta de criar riqueza e assegurar uma distribuição justa entre aqueles que se engajam na criação de valor.

Na Figura 1 à frente é apresentado um framework estendido de uma orquestração de uma rede de inovação para a orquestração de ecossistema, o qual serviu de lente teórica para o entendimento do estudo de caso da dissertação. À luz das diferenças entre as orquestrações digital e não-digital, a autora apresentou a extensão do framework para orquestração de ecossistema especificando as diferentes características das orquestrações digital e não digital da Figura 2 á frente.

Eis aí um trabalho inovador e que será muito comentado mais à frente. De toda a forma, esta dissertação é mais um trabalho que corrobora a metodologia de pensar as novas formas de organização da produção econômica na Era Digital que o editor desta newsletter desenvolveu em seu livro publicado em 2015, quando apresentou o conceito de Trindade Essencial, concebido e apresentado aqui em 2012!

Se sua empresa, organização ou instituição, deseja saber mais sobre orquestração de ecossistemas empresariais, não hesite em nos contatar!

 

l16F1

l16F2

 

banner

Creativante 2017 - Todos os direitos reservados